Skip to content

Emitir Boleto Renavam, Saiba Como!





Se você tem dúvidas a respeito de como funciona a documentação do RENAVAM e como efetuar pagamentos e emitir boletos de pendências relacionadas a ele, esse artigo foi escrito especialmente para você.

Aqui explicaremos se é possível pagar essas pendências através de boletos e guias, além de dar detalhes sobre como funcionam os pagamentos, impostos, questões de licenciamento e mais.




Por isso, fique atento aos tópicos a seguir para não passar vergonha quando o assunto é pagamento de pendências relacionadas ao RENAVAM!

Confira:

Imprimir Boleto IPVA Renavam
Imprimir Boleto IPVA Renavam

É Possível Emitir Boleto Renavam?





O RENAVAM, sigla para Registro Nacional de Veículos Automotores, é o documento de identificação do veículo. Todo automóvel possui um e este é simbolizado por um número de onze dígitos que é intransferível, assim como as pessoas possuem um número de RG.

Por meio do documento do RENAVAM, que vem impresso no topo do Certificado de Licenciamento do Veículo (CRLV), é possível saber todo o histórico do carro e o passo a passo de tudo o que ocorreu com ele, desde sua montagem até o seu descarte. 

No RENAVAM estão contidas informações como o emplacamento, licenciamento, mudanças de proprietário, multas recebidas e até furtos ou roubos que ocorreram com esse veículo. Todas essas informações estão em posse do DENATRAN e do DETRAN de cada estado.

Tendo este documento em mãos, torna-se possível realizar o pagamento de todas as dívidas ou pendências do veículo, tais como licenciamentos, impostos como o IPVA, multas e outros.

Há ainda quem se questione a respeito de como emitir boleto para o pagamento de alguma pendência relacionada com o RENAVAM, entretanto a prática de realizar pagamentos por meio de boletos não é mais tão comum e, em alguns casos, sequer é aceita. 

De acordo com o próprio site do DETRAN, para pagar taxas de licenciamento, por exemplo, é necessário ter o número do RENAVAM em mãos e ir até uma agência bancária, caixa eletrônico ou pagar pela internet, não sendo possível emitir um boleto ou guia. 

Já o IPVA, Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, necessita ter seu pagamento efetuado a partir do mês de janeiro de todo ano.

O valor do imposto deve ser verificado através do RENAVAM no site estadual do DETRAN e junto com ele é preciso pagar também o DPVAT, um seguro obrigatório que oferece cobertura para danos pessoais. 

Antigamente era possível efetuar o pagamento do IPVA e do DPVAT via boleto, já que eles chegavam através do correio.

Entretanto, essa prática foi deixada de lado e agora os pagamentos são feitos em bancos, casas lotéricas e no Poupatempo, não sendo possível novamente emitir boleto ou guia para realizar o pagamento dessa pendência do RENAVAM.

Emitir Boleto do Renavam Pela Internet

Atualmente, como mencionado anteriormente, a prática de geração de boletos não é mais comum. Os pagamentos das pendências provenientes do RENAVAM são realizadas majoritariamente em bancos, casas lotéricas ou no Poupa tempo.

Por isso, nem mesmo no site do DENATRAN é possível realizar a emissão de boletos.

Entretanto, ainda é possível conferir dados a respeito do automóvel por meio da internet, confira no próximo tópico.

Gerar Boleto Renavam

Como Puxar Renavam Online?

Realizar consultas online relacionadas ao RENAVAM, que possui todas as informações a respeito do automóvel, é um procedimento bastante simples. Confira a seguir:

  • Primeiro, é necessário entrar no site do DENATRAN através desse link https://www.denatran.gov.br/
  • Depois, clique na aba “habilitação, veículo e recall”
  • Isso feito, é necessário realizar um cadastro com suas informações pessoais;
  • Após ter feito o cadastro, é só fazer a consulta do veículo através do número do RENAVAM, a placa do veículo e o CPF do proprietário.

Não Paguei o Renavam, E Agora?

Se por acaso o proprietário do automóvel se esquecer de pagar alguma pendência do veículo relacionada ao RENAVAM, terá de pagar uma multa.

No caso do IPVA, por exemplo, há uma multa de 0,33% ao dia, com juros de mora que tomam como base a taxa SELIC, que em 2019 é de 14,25% ao ano.

Ao passar de sessenta dias, o valor percentual da multa passa a ser fixo, custando, então, vinte por cento do valor integral do imposto.

Se ainda assim o imposto não for pago, a dívida passa a ser de 100% e o proprietário tem seu nome protestado em cartório.

Gostou desse conteúdo? Então não se esqueça de conferir os outros artigos desse blog → Consulta Renavam para se manter ainda mais informado!

Para ter ainda mais informações sobre o pagamento desse imposto, assista ao vídeo a seguir: